PrectX – Manutenção da microbiota intestinal

microbiota intestinal

Para que o nosso organismo funcione adequadamente é preciso manter a microbiota intestinal saudável. Esse equilíbrio permite que a microbiota intestinal, popularmente chamada de flora intestinal exerça sua função de proteção através do aumento no número de bactérias benéficas, melhora da resposta imunológica e produção de vitaminas e de nutrientes essenciais para a ação intestinal saudável.

A microbiota intestinal é considerada um ambiente propício para desenvolvimento de uma variedade de microorganismos que auxiliam em vários processos fisiológicos, tanto como a digestão de alimentos quanto no monitoramento do desenvolvimento de microorganismos que causam doenças, por exemplo as infecções causadas por bactérias patogênicas e fungos.

Estudos comprovam que a microbiota intestinal é extremamente importante na manutenção do sistema imunológico e também no tratamento e prevenção da obesidade e diabetes mellitus tipo 2. Há evidências que indivíduos diabéticos ou obesos tem a microbiota intestinal alterada, com maior quantidade de bactérias maléficas, conhecidas como patogênicas e menor quantidade de bactérias benéficas. Essa alteração compromete o metabolismo de gorduras, podendo evoluir para outras complicações da síndrome metabólica, como o risco do desenvolvimento de resistência à insulina, doenças cardiovasculares e dislipidemia.

As bactérias gram-negativas são consideradas maléficas por conter lipopolissacarídeos presentes na sua superfície que podem atravessar a barreira intestinal e desencadear uma resposta inflamatória e resistência à insulina, ou seja,  pessoas que possuem uma alimentação com maior quantidade de gorduras possuem maior permeabilidade intestinal, que facilita a entrada dos lipopolissacarídeos na circulação sanguínea e quando associado a dietas ricas em gordura, podem levar à inflamação crônica, presente na obesidade e por favorecer o desenvolvimento da diabetes tipo 2.

A alimentação é um fator determinante no povoamento de bactérias na microbiota intestinal, portanto manter os hábitos alimentares saudáveis, trarão a longo prazo uma colonização de qualidade para nosso intestino e, consequentemente para todo o organismo. Uma alimentação rica em prebióticos, como as fibras e carboidratos não digeríveis e probióticos, como iogurtes, leites fermentados irão favorecer o aumento de Bacteroidetes (bactérias benéficas)  e a diminuição de Firmicutes (bactérias maléficas).

A microbiota intestinal também pode exercer impacto positivo na regulação do apetite e da saciedade no Sistema Nervoso Central (SNC). Quando a microbiota intestinal encontra-se saudável, há uma produção de substâncias chamados ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), que promovem aumento de saciedade e diminuição da ingestão alimentar.

Há vários estudos sobre a influência de alguns nutrientes da alimentação, em especial dos prebióticos e probióticos. Os prebióticos são caracterizados por componentes alimentares não digeríveis solúveis e fermentados que servem de alimentos para bactérias intestinais que levam à produção de substâncias capazes de alterar de forma benéfica a composição ou atividade da microbiota intestinal. Já os probióticos são os próprios micro-organismos vivos que, quando administrados em quantidade suficiente, interferem de forma positiva no equilíbrio da flora intestinal.

PrectX é um prebiótico a base de xilooligossacarídeos (XOS) que promove o crescimento do bifidobacterium (bactéria boa) e ao mesmo tempo inibe o crescimento de bactérias relacionadas à síndrome metabólica (Firmicutes), sendo eficiente na recuperação e manutenção da microbiota intestinal.

Os XOS são açúcares não convencionais, não calóricos e não metabolizados pelo organismo humano. São prebióticos que promovem o crescimento de probióticos como Lactobacillus sp e Bidobacterium bifidum, promovendo muitos benefícios à saúde humana.

Benefícios:

– tratamento e redução da constipação intestinal;

– Manutenção da microbiota intestinal;

– Promoção da digestão e a absorção de nutrientes;

– Prevenção da obesidade e diabetes;

– Prevenção de infecções gastrintestinais;

– Inibição do crescimento de microorganismo patogênicos;

– Aumento da imunidade;

Para mais informações consulte um de nossos farmacêuticos ou outro profissional da saúde.

Deixe uma resposta