Criança pode ter AVC: médico explica em quais casos e por que acontece

O AVC (acidente vascular cerebral) é mais comum em pessoas acima dos 55 anos, mas, dependendo dos fatores de risco, pode acontecer em qualquer idade, inclusive adolescentes e crianças. Segundo o neurologista André Lima, especialista na prevenção do AVC, entre as principais causas do AVC estão diabetes, hipertensão, colesterol aumentado, tabagismo, uso de bebidas alcoólicas e sedentarismo. “Uma pessoa que fuma tem 50% mais chances de ter o problema, tanto o hemorrágico (por extravasamento de sangue em uma parte do cérebro) como o isquêmico (falta de sangue em uma parte do cérebro)”, afirma.

No caso do AVC em crianças, a causa é a anemia falciforme, que faz com que as hemácias produzidas pelo organismo tenham a forma de uma foice, causando obstrução dentro das artérias e levando ao AVC. Já entre os jovens, havendo algum dos fatores de risco, o problema pode acontecer. E quem teve AVC quando criança, tem mais chances de ter novamente quando mais velho.

Dicas para prevenir

Segundo o médico, a melhor forma de prevenção é a conscientização sobre a importância da adoção de hábitos saudáveis no dia a dia. “Podemos comparar nossas artérias ao encanamento da nossa casa. Se jogarmos muita gordura pela pia da cozinha, provavelmente, com o tempo, os canos vão entupir mais rápido que a tubulação que não tem gordura. É o que acontece com o nosso corpo – os vasos sanguíneos ficam entupidos, provocando a ineficiência da circulação do sangue no cérebro”, compara.

Ele orienta a população a tratar a pressão alta, colesterol e diabetes, além de manter uma alimentação saudável, com frutas, verduras e carnes brancas, somadas à prática de exercícios físicos e ao fim do tabagismo.

Sintomas do AVC

Caso a pessoa tenha um AVC, ele diz que o atendimento rápido é essencial. Para isso, é importante ter atenção aos sintomas e procurar um hospital o mais rápido possível assim que notar algum sinal como perda de força em metade do corpo, fala arrastada e face torta. “O início do tratamento deve ser feito em até 4h30”, explica.

A cura irá depender do tipo de AVC e do tratamento adequado. Se o paciente for socorrido a tempo, o risco de morte é reduzido e a recuperação pode acontecer sem deixar sequelas.

Fonte: www.bolsademulher.com.br

Deixe uma resposta